domingo, 6 de setembro de 2009

Literatura de Cordel


Jararaca- o cangaceiro militar

http://www.abcl.com.br/





Literatura de Cordel

O que é?



A literatura de cordel, tanto pela sua parte poética, como pela arte da xilogravura, é considerada uma das mais interessantes expressões da arte brasileira.
A literatura de Cordel são folhetos ilustrados com o processo de xilogravura e escritos geralmente em versos (sextilhas, septilhas ou décimas), que se parecem poesias e que contam histórias diversas. Podem falar de eventos importantes, pessoas conhecidas, historinhas de amor, dramas, aventuras, fantasia, ou qualquer coisa que vier à cabeça do artista. Portanto, a literatura de cordel pode ser resumida como poesia narrativa, popular e impressa.
Ganhou este nome porque, em Portugal, eram expostos ao povo amarrados em cordões, estendidos em pequenas lojas de mercados populares ou até mesmo nas ruas. Herdamos o nome (embora a maioria chame esta manifestação de folheto), mas a tradição do barbante não perpetuou. Ou seja, o folheto brasileiro pode ou não estar ou não exposto em barbantes.






Folhetos expostos amarrados em cordões







O sucesso do Cordel ocorre em função do preço baixo, do tom humorístico de muitos deles, e também por retratarem fatos da vida cotidiana, da cidade ou da região. Os principais assuntos retratados nos livretos são: festas, política, secas, disputas, brigas, milagres, vida dos cangaceiros, atos de heroísmo, milagres, morte de personalidades, etc. tendo, muitas vezes, função jornalística a respeito destes assuntos.











Geralmente estes pequenos livros são vendidos pelos próprios autores. Como é uma manifestação muito mais cultural do que intelectual, destaca-se em regiões onde a cultura é mais valorizada. Fazem grande sucesso em estados como Pernambuco, Ceará, Alagoas, Paraíba e Bahia, onde os exemplares têm larga tiragem e são vendidos nas feiras populares.
Atualmente, esta manifestação popular pode ser encontrada em diversos pontos do país e não só nas feiras do Nordeste, sempre incentivada pelas comunidades nordestinas.
Em algumas situações, estes poemas são acompanhados de violas e recitados em praças com a presença do público, porém "Cordel" é diferente de "Repente".

Para saber mais sobre a métrica dos cordéis:
Link;
Métricas do Cordel
http://www.ablc.com.br/index.htm














(postado por Isabella, nº11 6ª D)

3 comentários:

  1. O filminho é incrível e o texto ótimo.

    ResponderExcluir
  2. vc precisa melhorar seu texto ta orrivel

    ResponderExcluir